Cultura Brasileira: no ar desde 1998

 

Apontamentos para a História do Brasil - 1ª Parte

 
 

Introdução

 

A Era Lula tem entre suas características mais marcantes a forma peculiarmente excêntrica como lida com o dinheiro público e como trata os fatos. O mais chocante, contudo, é o fato de ele haver construído sua imagem pública durante quase 3 décadas como um líder sindical importante, um homem profundamente ligado à causa dos Trabalhadores do Brasil (daí a criação de um "Partido dos Trabalhadores" de que hoje guarda somente o nome) mas, ao finalmente galgar o poder muda de lado! Alia-se aos banqueiros, jogadores da Bolsa de Valores e políticos tradicionais de um lado e, de outro, ao lumpemproletariado, ABANDONANDO a Classe Trabalhadora, traindo a Classe Trabalhadora e toda a sua própria história existencial pregressa.

A primeira prioridade do dinheiro arrecadado dos impostos brasileiros é a manutenção dos lucros estratosféricos dos megaespeculadores internacionais. A seguir, gastos com propaganda. Em terceiro lugar, suborno a parlamentares para que votem medidas governamentais contrárias aos interesses dos brasileiros. Em quarto, ampliar o número dos que o apóiam entre os miseráveis, que mantem em situação de miséria, agora como clientes do Estado. Em quinto gastar prodigamente com Propaganda, falando de um Brasil com pleno emprego, renda em alta, preços em queda, inflação controlada, educação pública cada vez melhor, saúde pública de primeiro mundo e por aí vai - tudo ao contrário do Brasil real, ça va sans dire... Com a corrupção vertiginosamente crescente praticamente NADA sobra para a... Gestão Pública: saúde, educação, segurança, infraestrutura... Essas coisas, enfim, que aparecem magníficas na Propaganda deixando-nos a todos com vontade de nos mudarmos para aquele Brasil lindo da Propaganda que aqui, no mundo real, as coisas estão totalmente diferentes...

 Sempre que há algo de elogiável acontecendo no país, por mais que nada tenha a ver com o governo, a propaganda desinforma afirmando que “neste governo se fez...” Por outro lado, quando é pilhada em ilícitos criminais, a cúpula palaciana lidera a propaganda desinformando: “é algo que herdamos do governo passado...” Assim, a quadrilha formada pelo PT para tomar o Estado Nacional e permanecer em postos de comando indefinidamente “era coisa dos tucanos”; a paralisia provocada na economia pelas altas taxas de juros e impostos extorsivos. Queda na produtividade e na circulação econômica corresponde a queda no consumo de energia. Isto aparece na propaganda como “chegada à plenitude energética...”, estradas em péssimo estado de conservação são parte da herança maldita (meia verdade: são sim, mas o governo Lula nada fez para reverter este quadro, agudizando-o cruelmente).

Para apresentar um contraponto a esta forma curiosamente peculiar de apresentar os fatos e contribuir para que não nos esqueçamos dos fatos neste período, começo a tomar notas sobre os acontecimentos dos últimos 3 anos e pouco.

 

 

Março de 2003

 

Nomeado o deputado federal Henrique Meirelles, eleito pelo PSDB de Goiás, para a presidência do Banco Central sob aplauso de todos os especuladores internacionais e protesto dos trabalhadores brasileiros.

            Ficou claro que o PT se transformou em um partido de direita propondo a privatização do Banco Central do Brasil, as mesmas reformas na previdência que o PSDB desejava (taxação de inativos, aumento na idade para aposentadoria, etc.) e o Ministério da Fazenda, subordinando-se ao Banco Central, encaminha a economia brasileira segundo os interesses dos bancos privados internacionais e não segundo os interesses do povo trabalhador do Brasil.

 

Rompo com o PT a 15 de março.

 

Heloísa Helena Expulsa do PT cria o partido de cúpula PSOL

 

***

Março de 2003

 

         A prioridade do governo na questão das reformas passa a ser desvincular o Banco Central do Governo Federal. Ora, dar autonomia ao Banco Central é abrir mão completamente do poder governamental de nortear a política econômica no país. Com um Banco Central privatizado – essa é a expressão, estão alguns petistas pensando em PRIVATIZAR o Banco Central! – só o “Mercado” governará a economia deste país, esvaziando ainda mais os poderes do Executivo Federal, transferindo ainda mais significativamente às hienas, chacais e abutres do “mercado” o controle sobre nossa economia.

 

***

Março de 2003

 

Lula informava em sua campanha ser o único capaz de promover uma amplo “pacto social” e levar a cabo “as reformas necessárias”. Ao início do governo encaminha reformas econômicas à direita da Ditadura Militar, num governo mais mentiroso que o de Collor de Mello e mais entreguista que o de Fernando Henrique, justamente porque, pela sua trajetória política, ninguém em sã consciência, jamais imaginou que ele o fizesse.

 

***

Novembro de 2003

 

Idosos obrigados a provar que estão vivos

 

            A Previdência Social no Brasil arrecada uma enormidade de recursos que são, em sua maior parte, desviados para o pagamento dos juros da dívida (o tal do “superávit primário”...), por isso aparece como deficitária. Pretensamente para combater o déficit da previdência, na prática para ampliar a quantidade de recursos arrancados dos trabalhadores, aposentados e pensionistas para desviar aos bancos, em novembro de 2003 o então ministro da Previdência Social, Ricardo Berzoíni, obrigou os aposentados e pensionistas com mais de 90 anos a comparecer, portando suas identidades e CPF (faltou pedir que fossem “acompanhados de seus avós”...) para explicar o que diabos estavam fazendo ainda vivos.

            Foram filas imensas, gente passando mal, um desrespeito com quem trabalhou para construir este país. Um dos primeiros e mais rumorosos de uma série de escândalos envolvendo malversação de recursos públicos, incúria administrativa, incompetência política e corrupção dos mais diversos tipos.

 ***

 

Janeiro de 2004

 

Rifados ministérios para composição política

 

            Cristovam Buarque, demitido do Ministério da Educação – por telefone! – informa que segue em apoio a Lula que promovendo Tarso Genro a ministro da Educação concede-lhe Foro Privilegiado para se defender das acusações de corrupção no processo eleitoral no Rio Grande do Sul. Berzoini deixa de ser ministro da imprevidência e se torna sinistro do trabalho mau remunerado e do desemprego. A previdência foi para o peemedebista Amir Lando.

 
 

 

***

Maio de 2004

 

“A política econômica do governo interfere no combate à fome e à miséria.” e “O governo parece mais preocupado em saldar compromissos externos a honrar seus compromissos com o povo brasileiro”, D. Mauro Morelli, bispo de Duque de Caxias (RJ) em março de 2004.

 

***

Junho de 2004

 

Desemprego zero para a companheirada

 

A MP 163/04, que reformula a Casa Civil ampliando poderes de José Dirceu (Suspeito de corrupção no caso da propina de Waldomiro Diniz assim como de envolvimento no assassinato do prefeito petista de Santo André) e criando cerca de 3.000 cargos de livre designação do executivo a valores aproximados de R$ 4.000,00 cada um.

 

Junho de 2004

 

           Parlamentares petistas votam o menor salário em pauta e saem para festejar sua vitória contra os trabalhadores brasileiros

 

No passado, parlamentares petistas estavam sempre entre os que defendiam os maiores valores para o salário. No poder, a situação mudou completamente: ficam os petistas do lado dos banqueiros, contra os trabalhadores.

Outra mudança significativa era a busca de emprego e renda. No poder, por um lado o PT ampliou a quantidade de desempregados desinformando na propaganda que “nunca antes neste país se gerou tantos empregos...” – por outro, ampliou-se a base do clientelismo estatal...

A oposição de direita propôs reajuste para R$ 260,00 ao salário mínimo. O PT atacou os trabalhadores com o menor salário proposto: R$ 245,00 que, aprovados, passam a vigorar imediatamente. Para comemorar esta vitória sobre os trabalhadores, parlamentares petistas, num restaurante elegante de Brasília, gastam em uma noitada o equivalente a 2 anos do novo salário votado.

 

***

 

Julho de 2004

 

“Sem inflação, aumenta a renda dos brasileiros”

 

Registrados aumentos de até 10% nos impostos e 91% preços de  remédios, aluguéis, telefones, energia elétrica, gasolina, arroz, feijão, açúcar, carne, peixe, frango. Salários federais congelados há mais de 10 anos. Salário Mínimo reajustado em menos de 3%. A propaganda governamental segue desinformando: “aumenta o poder de compra da população e a inflação segue contida”.

 

***

Dezembro de 2004

 

Separando o joio do trigo

 

Parlamentares do PT (Heloísa Helena, Luciana Genro, Babá e João Fontes) votaram, no Congresso Nacional, contra a reforma da Previdência, proposta pelo governo Lula, retirando direitos dos trabalhadores e favorecendo ainda mais o capital financeiro.  Por isso o Partido (dito) dos Trabalhadores decidiu-se a amputar seu braço esquerdo expulsando aqueles parlamentares e provocando a desfiliação de muitos intelectuais e simpatizantes de esquerda, que partiram para a fundação de um novo partido.

            Ao se desligar dos ideológicos e autênticos e convocar ao governo fisiológicos históricos como Waldemar da Costa Neto (PL), Roberto Jefferson (PTB), José Janene e Severino Cavalcanti (PP), entre outros, Lula demonstra saber precisamente separar o joio do trigo, fica com o joio e joga o trigo fora.

 

A Década Perdida - Dez Anos de PT no Poder - Marco Antonio Villa

Mensalão - O Julgamento do maior caso de corrupção da História Política do Brasil

A Esperança Estilhaçada - Augusto Nunes

A Esperança Estilhaçada - Augusto Nunes

***

 

Janeiro de 2005

 

Dívida brasileira atinge R$ 1.000.000.000.000,00!

 

Após aprovar medidas que taxam inativos e pensionistas, além de aumentar exponencialmente os impostos brasileiros – que chegam a 40% de tudo quanto se produz – o Brasil atinge o recorde de R$ 1.000.000.000.000,00 (um trilhão de reais) em dívidas que seguem aumentando dadas as altas taxas de juros praticadas pelo governo federal.

Numa patriotada esquisita e para desviar a atenção deste entreguismo deslavado começa-se a fichar estrangeiros que chegam ao Brasil como “reciprocidade diplomática” ao que é feito a nossos cidadãos em viagens por aí afora. Naturalmente, esta medida não atinge os multimilionários que viajam em seus transportes privados, mas somente àqueles que se utilizam de serviço de transporte coletivo (aéreo e marítimo). Com uma vantagem para os criminosos hoje encastelados no poder: a Polícia Federal, ocupada com esta picuinha menor, diminui sua atividade preventiva e repressiva ao crime.

 

***

Março de 2005

 

Brasil não precisa mais do FMI: já aprendeu a errar sozinho

 

            Mais uma vez atraiçoando a confiança do povo e renegando todo o seu passado histórico de lutas heróicas contra as ingerências estrangeiras nos nossos assuntos internos, discursando numa direção e agindo em outra, o governo petista anuncia que não renovará o acordo com o FMI, mas manterá a mesmíssima política econômica, ou seja, seguirá com superávit primário acima daquele que o organismo internacional determina, manterá elevadas taxas de juros e, consequentemente o arrocho tributário necessário a desviar recursos da produção para remunerar o capital especulativo.

            Qual o efeito prático para os brasileiros, da supressão do acordo com o FMI? Absolutamente nenhuma e acrescentamos mais uma expressão para meu “Novíssimo Dicionário da Novilíngua Petista”: Quando o governo diz “Não precisamos mais do FMI, o Brasil já pode caminhar com as próprias pernas.” Entenda-se: “Vamos continuar mantendo os juros mais elevados do mundo, cobrando altíssimos impostos e pagando mais e melhor ao especulador do que ao produtor ou trabalhador. O FMI até nos elogia. Aprendemos tudo sobre economia na escola de quebrar países do FMI e vamos continuar arrochando os brasileiros como nunca antes neste país.”

 

 

 

Novembro de 2005

 

Pegaram o PC Farias de Lula da Silva

 

            Em entrevista à jornalista Renata Lo Prete, o então deputado Roberto Jefferson revela que Delúbio Soares, através de Marcos Valério, pagava um “mensalão” para que os parlamentares venais votassem a favor do governo. Lula, que até a véspera daria um cheque em branco a Roberto Jefferson, declara que “não sabia de nada”.

 

***

Novembro de 2005

 

Vivendo de sobras

 

            Nem foi ato falho, foi transparência e sinceridade: o Ministro Antônio Palocci disse com todas as letras que o ideal era ter um superávit primário menor (o dinheiro de nossos impostos que é reservado para remeter à ciranda financeira que, com juros elevados, promove o crescimento de nossa dívida) para que “sobrasse” mais dinheiro para infra-estrutura, educação, saúde, segurança...

            Em outras palavras e sem meias palavras: a equipe econômica de Lula informa que primeiro atenderá aos banqueiros; com o que sobrar, se verá o que é possível fazer em termos de administrar o Brasil.

 

***

Dezembro de 2005

 

Faz-se um pouco de justiça

 

Por 293 votos a 192, em decisão histórica, o plenário da Câmara decidiu aprovar a recomendação do Conselho de Ética, cassando o mandato de José Dirceu e lhe retirando os direitos políticos por oito anos. O agora ex-deputado só poderá ser candidato a cargo público na eleição de 2016, quando estiver com 70 anos de idade.

Lázaro Curvêlo Chaves – 21/09/2006

Continuação:

Apontamentos para a história do Brasil - 2ª Parte: instauração da CPI dos Correios, o julgamento do Mensalão, o caso do "Dossiê dos Aloprados", etc.

 

 

 
Copyleft © LCC Publicações Eletrônicas Todo o conteúdo desta página pode ser copiado e divulgado para fins não comerciais. É educado sempre citar a fonte...