Clique aqui para recomendar esta página a Amigos!

Google
 
Internet Nesta Página
PSTU PSOL

Alguns Escritores Brasileiros

Graciliano Ramos (1892-1953)



Ficção brasileira, poesia, e conta de drama para aproximadamente meio a produção literária da América Latina, calculou pelo número de títulos de indivíduo reserva.

O desenvolvimento literário no Brasil segue os períodos históricos principais do país basicamente - o Período Colonial, de 1500 até independência em 1822, caracterizou-se principalmente através de escritas no Barroco e do Arcadismo, além do Período Nacional desde 1822. Podem ser unidos movimentos literários importantes durante o Período Nacional ao desenvolvimento político e social do país: O Movimento Romântico em literatura coincidida basicamente com os 57 anos do Império; os Parnassianos e os Realistas floresceram durante as décadas iniciais da República, seguiu, ao redor da volta do século, pelo Symbolimo. No 20º século, a ascendência do  Movimento Vanguardista ou do Modernista, com idéias de um esteticismo vanguardista, era célebre durante a Semana de Arte Moderna de São Paulo famosa  em 1922. Este movimento influenciou profundamente não só a literatura brasileira, mas também sua pintura, escultura, música, e arquitetura.

Muitos dos escritores notáveis do Período Colonial eram Jesuítas que foram hipnotizados pela terra nova e seus habitantes nativos. Entre o luminares deste período o Padre José seja de Anchieta (1534-1597), um poeta dedicou ao evangelização dos índios, e de Gregório Matos (1623-1696), que criou uma nova vertente de poesia composta de lirismo e misticismo mas é melhor conhecido por sua veia satírica , e o famoso pregador Padre Antônio Vieira  (1608-1697). Os Árcades, Cláudio Manuel da Costa (1729-1789),   Basílio da Gama (1740-1795), e Tomás Antônio Gonzaga (1744-1810), escreveram poemas líricos e poemas épicos e também eram conhecidos pelo envolvimento de suas idéias no movimento de liberação chamado " Conspiração " de Minas (" Conjuração Mineira ").

A transferência, em 1808, da família real portuguesa para o Brasil trouxe com isto o espírito do Movimento Romântico europeu incipiente. Escritores brasileiros começaram a enfatizar liberdade individual, o subjectivismo, e uma preocupação com os assuntos sociais. Seguinte a independência de Brasil de Portugal, literatura Romântica se expandiu para exaltar a singularidade das regiões trópicais do Brasil e seus índios, os escravos africanos, e para descrições de atividades urbanas. Algumas das figuras literárias o mais famosas do Período Romântico eram os poetas, como Castro Alves (1847-1871) que escreveu sobre os escravos africanos e Gonçalves Dias (1823-1864) que escreveu sobre índios.

Manuel Antônio de Almeida (1831-1861) é creditado como o iniciador da literatura picaresca no Brasil. José de Alencar (1829-1877) escreveu vários romances populares inclusive Iracema sobre índios, O Guarani, um romance histórico, e romances em negócios regionais, sociais, e urbanos. Entre os novelistas do Período Romântico ainda é lido amplamente no Brasil hoje: Joaquim de de Manuel o Macedo (1820-1882), que escreveu A Moreninha, uma história popular, e Alfredo d'Escragnolle Taunay (1843-1899), o autor de Inocência.

O Parnasianismo na poesia era, no Brasil como na França, uma reação para com os excessos do Romantismo. A Tríade " de Parnasianos denominada " de poetas brasileiros - Olavo Bilac (1865-1918), Raimundo Corrêa (1860-1911), e Alberto de Oliveira (1859-1937) - escreveu poesia refinada na qual a personalidade do poeta se interessa por assuntos sociais foram obliterados ou olvidados.

Machado de Assis (1839-1908), amplamente aclamado como o maior escritor brasileiro do 19º século e além, era sem igual por causa da universalidade de seus romances e composições. Hoje, Machado de o Assis permanece um dos escritores mais importantes e influentes de ficção no Brasil. Os trabalhos dele cercaram o estilo Romântico e Realismo como exemplificou na Europa por Emile Zola e o novelista português,  Eça de Queiroz. A prosa de Euclides da Cunha (1866-1909), enfatizou  uma literatura brasileira que retrata realidades sociais. O trabalho mais famoso dele, Os Sertões (Rebelião no Backlands), sobre uma revolta no nordeste conduzido por um religioso fanático, foi publicado em 1902. À volta do século a imaginação literária brasileira foi puxada a Simbolismo, representou por poetas Cruz e Souza (1861-1893) e Alphonsus de Guimarães (1870-1921). O Symbolista está interessado em misticismo e metáfora usando alegorias para expressar suas idéias.


    Começando no 20º século, um estado inovador de mente saturou os artistas brasileiros e culminou na celebração da Semana de Arte Moderna no São Paulo. Este modo novo de pensamento propulsou uma revolução artística que atraiu a sentimentos de orgulho para folclore nacional, história, e ascendência. Participantes na Semana de Arte Moderna recorreram a experiências por escrito e em belas-artes conhecidas em outro lugar como Futurismo, Cubismo, Dadaismo e Surrealismo. O poeta Menotti del Pichia resumiu os propósitos do movimento artístico novo com estas palavras: " Nós queremos luz, areje, ventiladores, aviões, as demandas de trabalhadores, idealismo, motores, que chaminés de fábrica, sangue, fazem andar depressa, sonham em nossa Arte ". O líder mais importante da fase literária deste movimento era Mário de Andrade (1893-1945) que escreveu poesia, composições em literatura, arte, música, e folclore brasileiro, e Macunaíma que ele chamou " uma rapsódia, não um romance ". Oswald de Andrade (1890-1953) escreveu uma coleção de poemas que intitulou Pau-Brasil (Brazilwood) que avaliou cultura brasileira, superstições, e vida familiar em idioma simples, economicamente, e, pela primeira vez em poesia brasileira, com humor.

A transição para uma aproximação literária mais espontânea é representada por poetas como Carlos Drummond de Andrade (1902-1987), cuja ironia era usada para dissecar as alfândegas do tempo, e Manuel Bandeira (1886-1968), que construiu associações de idioma ao redor de provérbios e expressões populares. Bandeira quis ser o último poeta " dele para ser eterno e diz o mais simples e menos coisas " intencional. O romance brasileiro moderno assumiu uma forma nova e um conteúdo social depois de José Américo de Almeida (1887-1969), que escreveu A Bagaceira, uma história pioneira sobre as condições severas de vida no nordeste. Ele foi seguido por Jorge Amado (1902 -), Graciliano Ramos (1892-1953), José Linsdo Rego (1901-1957), e de de Rachel Queiroz (1910 -), tudo notaram para o poder de suas imagens evocando os problemas e sofrimentos de vida na região nordeste onde eles nasceram.


Os primeiros romances de Jorge Amado, traduzidos em 33 idiomas, foram influenciados pesadamente pela sua convicção em idéias Marxistas e se concentraram nos sofrimentos de trabalhadores nas plantações de cacau em sua fazenda na  Bahia e em pescadores humildes em aldeias de litoral. Nos 1950's ele optou para uma aproximação mais jovial às alegrias e duelos das classes médias de Bahia e produziu uma sucessão de livros que receberam aclamação mundial. Gabriela, Cravo e Canela é talvez os melhor conhecidos dos livros de Amado. Dona Flor seus Dois Maridos proveu as escrituras para filmes, jogos, e televisão. Arguably o escritor brasileiro mais inovador de seu século era João Guimarães Rosa (1908-1967). Diplomata de carreira, ele capturou a atenção do público e críticos primeiro semelhante com um volume de histórias pequenas, Sagarana, logo seguido pelo melhor trabalho conhecido dele Grande Sertão,: Veredas. Cavando profundamente em mannerismos de fala da região de interior do litoral oriental, a Guimarães Rosa começou algo como uma revolução semântica. Ele ousou apresentar a seus leitores palavras com combinações cunhadas e sintaxe tão desenfreada que constituia quase um idioma novo.

Há muitos outros escritores de brasileiro notáveis. Gilberto Freyre (1900-1987), mestre de estilo e um pioneiro da escola nova de sociólogos brasileiros, é o autor de Casa Grande & Senzala, um estudo perceptivo de sociedade brasileira. Um dos melhores poetas de brasileiro conhecidos é João de de Cabral Melo Neto (1918 -). a poesia dele é sóbria e ele usa palavras com a precisão com que um engenheiro usaria os materiais do edifício que está construindo. Menção especial deve ser feita de Vinícius de o Moraes (1913-1980). A sua poesia se tornou parte e pacote da bossa nova, movimento musical que produziu um estilo novo de samba de ritmo tipicamente brasileiro. Vinícius (como ele é conhecido mundialmente) também escreveu um jogo, Orfeu da Conceição que ficou internacionalmente famoso como o filme Orpheus Preto.

Entre o viver ou os novelistas recentemente falecidos, menção deveria ser feita de: Orígenes Lessa, Adonias Filho, Érico Veríssimo, Dinah Silveira de Queiroz, Lygia Fagundes Telles, Herberto Sales, Rubem Fonseca, Clarice Lispector, Dalton Trevisan, Nélida Pinõn, Osman Lins, e Moacir Scliar; e entre os poetas: Raul Bopp, Murilo Mendes, Augusto Frederico Schmidt, Mário Quintana, Cassiano Ricardo, o Jorge de Lima, Ferreira Gullar, Cecília Meireles, Augusto de Campos e Haroldo de Campos.

Ajude a manter esta página ativa! - Clique aqui e veja como fazer

Sociologia, Filosofia, Psicologia, Ensaios Críticos

Temas para o Vestibular Comentário Semanal Livros na íntegra para download gratuito
   
Obras Brasileiras e Portuguesas Filosofia, Sociologia e Psicologia Trabalhos que a fé inspira
     
História do Brasil     Obras de Valor Universal Trabalhos Maçônicos
   
Arquivo de Artigos Semanais Assédio Moral no Trabalho Trabalhos Rosacruzes 
     

© Copyleft LCC Publicações Eletrônicas - Todo o conteúdo desta página pode ser distribuído exclusivamente para fins não comerciais desde que  mantida a citação do Autor e  da fonte. Contato

 

[ Assine o livro de visitas! ] - [ Veja quem já assinou]

Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado

Nazismo nunca mais!

Entre em contato conosco. Clique aqui

Valid HTML 4.0!

 

Voltar ao início - Cultura Brasileira